Deputado mineiro Tiago Mitraud é o mais econômico da Câmara em 2019

Tiago Mitraud (NOVO/MG) é o deputado federal que menos gastou recursos públicos durante o primeiro ano da atual legislatura. O deputado cortou mais de 90% da cota parlamentar e contratou uma equipe enxuta, alcançando uma economia que ultrapassa um milhão de reais. 

Estreante na política, Mitraud defendeu a redução de gastos do Poder Legislativo durante sua campanha eleitoral em 2018. “O que vemos na Câmara é que há muito desrespeito ao cidadão brasileiro, nos altos custos dos parlamentares e na recusa destes por reduzirem os gastos de seus gabinetes”, aponta. 

Um levantamento feito pelo partido NOVO considerou os valores gastos com cota parlamentar, recurso que pode ser usado para suprir despesas típicas do mandato – como passagens aéreas, serviços postais e manutenção de escritório – e a verba de gabinete, que é o montante disponível para contratação de pessoal. Somando as quantias, Tiago Mitraud é o deputado que menos gastou em 2019, entre os que tomaram posse em fevereiro e não interromperam o mandato. Dessa forma, somando salários da equipe e despesas do mandato, o deputado gastou pouco mais de R$  377 mil reais, enquanto a média da casa foi de quase R$ 1.4 milhão por parlamentar. 

As despesas de manutenção do mandato de Mitraud somaram pouco mais de R$33.700, o que equivale a menos de um mês de cota parlamentar disponibilizada aos mandatários mineiros (R$36.000). “Fizemos ações simples e que qualquer parlamentar fazer: comprei passagens aéreas com antecedência, viajei de carro quando era a opção mais em conta, fiquei hospedado na casa de voluntários e apoiadores, programei ações do mandato com antecedência”, explica. 

Para economizar com a contratação de equipe, o parlamentar aposta em equipe pequena e métodos de gestão. “Pelo processo seletivo, encontramos pessoas com valores alinhados, depois estabelecemos metas e avaliações de desempenho e estamos sempre focados em entregar resultados”, explica. Mitraud também não possui uma estrutura fixa em Minas Gerais, mas conta com um time de voluntários e faz parcerias com o deputado estadual Guilherme da Cunha, também eleito pelo NOVO. 

Considerando também a renúncia de benefícios como auxílio-mudança e auxílio moradia, somado à redução de custos indiretos da contratação de assessores – adicional de férias, décimo terceiro, INSS patronal – a economia do mandato ultrapassa R$1.8 milhão. Para Mitraud, o mais importante é alcançar resultados e mostrar que não é preciso gastar tanto para gerar impacto: “consegui fazer todas as ações importantes para o mandato garantindo que iríamos gastar o mínimo possível do dinheiro do pagador de impostos”, conclui.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Últimas notícias